Pedro Viana

Pedro Viana ainda na academia, depois de uma breve passagem pelo ambiente empresarial e das startups, começou a dedicar-se ao estudo da transformação que as tecnologias estavam a introduzir no mundo empresarial e sociedade, deste período resultou um livro publicado em 2002 em coautoria.

No fim de 2002, na recém criada UMIC, iniciou o seu contributo para a o desenho, elaboração e implementação dos planos de ação do governo português para a sociedade da informação, governo eletrónico e eProcurement. Desde essa altura, que resultou numa aceleração digital sem precedentes do setor público, até final de 2010 participou no projeto de implementação das compras públicas eletrónicas em Portugal, que criou um modelo de governação para as compras públicas e compras eletrónicas em Portugal, nomeadamente com a criação da Agência Nacional de Compras Públicas, definição e implementação da estratégia nacional de compras públicas, cobrindo a despesa anual de 2 mil milhões de Euros. Ainda hoje o caso português é considerado uma referência a nível internacional pela sua completude.

Desde 2011 até 2013 exerceu funções de coordenação comercial em empresas portuguesas de tecnologias de informação, com foco no setor público e saúde.

A partir de 2013 iniciou a colaboração com várias organizações internacionais (EBRD, GIZ, World Bank, DFID/UK Aid), onde propagou novamente o caso português e desenvolveu projetos de adoção de eProcuremente em diversas latitudes (Europa, Norte de África, Sul de África, Médio Oriente e Ásia).

Na mesma altura assumiu o papel de Programme Manager Officer da Estratégia de Transformação da Administração Pública (2013-2018) na Agência para a Modernização Administrativa, onde Diretor de Transformação Digital desde 2018 – cargo orientado para a transformação digital do setor público.

EAD
Multicert
Caso
Papiro
Pontual
SFLAG